(Ainda) a indústria da construção em Portugal

(Ainda) a indústria da construção em Portugal

2021-03-31

(Ainda) a indústria da construção em Portugal
A indústria da construção em Portugal, à semelhança do que acontece noutros países, tem importância significativa no conjunto da economia nacional. O sector da construção civil e obras públicas é um sector muito diferenciado dos outros sectores de actividade, quer em termos produtivos, quer em termos de mercado de trabalho. Trata-se de um sector que apresenta uma cadeia de valor muito extensa, porque recorre a uma ampla rede de entradas (sub-contratos, …), proporciona o aparecimento de externalidades positivas às restantes actividades e gera efeitos multiplicadores significativos a montante e a jusante. A construção é uma actividade económica com especificidades próprias caracterizada por uma grande diversidade quer de clientes com uma procura que vai desde o Estado (central e local) ao particular que pretende construir, das grandes empresas multinacionais aos pequenos promotores tradicionais, de projectos onde cada obra apresenta, geralmente, características diferentes, o que dificulta o desenvolvimento de produtos e processos de fabrico padronizados, de produtos que cobrem tanto a habitação tradicional como obras mais complexas, (p.e.: estradas, edifícios inteligentes ou barragens), de operações produtivas onde o produto final resulta da interacção entre várias especialidades com graus diferenciados de exigência e tecnologia, de tecnologias, em resultado da intervenção numa empreitada de diversas especialidades e da coexistência de tecnologias de produção novas com as antigas, de unidades produtivas em que empresas com grandes meios e capacidades e tecnologicamente evoluídas laboram a par de empresas com um aproveitamento limitado das tecnologias disponíveis e com utilização abundante do factor mão-de-obra.
O impacto do sector da construção no produto faz-se sentir, quer a montante, nas empresas de materiais e de equipamentos de construção (por exemplo: maquinaria diversa, cimento, aço, vidro, tintas, plástico, janelas, portas, cabos, aparelhos de aquecimento e ventilação, etc.) e de serviços (consultoria, arquitectura, engenharia, transportes, etc.), quer a jusante nas empresas de equipamento (mobiliário, equipamento doméstico e material de escritório, etc.) e de serviços (abastecimento de energia, manutenção e decoração, seguros, serviços jurídicos, etc.).
Consequentemente, a actividade da construção tem um importante impacto sobre o emprego, ao ponto de se estimar que cada emprego directo criado pelo sector da construção gera três postos de trabalho no conjunto da economia (não incluindo o impacto induzido pelo efeito multiplicador do investimento adicional em construção sobre o rendimento agregado).
A procura dirigida a este sector depende directamente do grau de desenvolvimento da economia, da conjuntura económica e do montante das despesas públicas, ou seja, mais do que em qualquer outro sector de actividade a sua evolução depende do montante e das fases de investimentos em outros sectores.
Estamos, pois, perante uma actividade tendencialmente pró-cíclica, ou seja, expansões mais marcadas que a economia global em fases positivas do ciclo e recessões mais profundas em períodos negativos, sendo, por isso mesmo a sua dinâmica frequentemente considerada como um dos principais indicadores de uma economia, ou um dos seus barómetros.
Nos últimos anos em Portugal este sector tem apresentado um forte dinamismo. Os próximos são ainda incertos. No meio da incerteza e desta teia de parceiros e processos é fulcral garantir que a resposta respeita o padrão de qualidade acordado com o cliente sem esquecer que urge repensar a eficiência e a produtividade no sector (a título de exemplo: Portugal 14€/h/pessoa vs. Espanha 43€/h/pessoa)
Recorde que o hoje é o amanhã para o qual se preparou ontem e que ‘quando nos preparamos para a mudança e tornamos essa a nossa forma de ser e estar tudo se torna mais fácil. Isto é estar à frente do futuro.’, por isso aceite o desafio
Start, Go, Walk, Run, Drive...

Ver todas

Últimas

Aveiro


T. Rua Comandante Rocha e Cunha, Nº 4, 3800-136 Aveiro, Portugal

(+351) 234 351 145

Lisboa


Rua Cidade de Bolama Nº 38J - 1D, 1800-079 Lisboa, Portugal

(+351) 211 931 647